domingo, 28 de dezembro de 2008

E O Mundo Se Fez...


Em símbolos
Inventaram-me
Mundo

Engravidei
do pensamento
falado

In
Mundo

Abortados

Significados
e sentimentos

Sou
metáfora
do caos
“organizado”

Traduzido
em
Uni e Versos

E tudo era tão simples
Antes do verbo
...
Eis que agora
existo


Maris

sábado, 20 de dezembro de 2008

OFERENDA




Te desejo
escrever
a vida inteira
Ser feliz
qualquer maneira
desenhando um
sorriso
no teu rosto

Que a vida seja
música
aos ouvidos
e sonhos
na mente
pra buscar

Que o corpo seja
um coração
explodindo
de vida
que não cabe
pra guardar
dentro do peito

Que cenários tantos
o universo
te ofereça
Possam ser
manhãs
chuvosas
ensolaradas
noites calmas
tenebrosas
ou
a cauda
de um cometa
no céu da boca
de estrelas
pra guiar

Cenários tantos
sejam lá quais caminhos
percorreres
que o destino
te reserve
a coragem
a luz
a fé

Seja o que for
que te pegue
na curva
dessa estrada
que te proteja
uma calça jeans
desbotada
e muito amor
pra te guardar!!!

ɱαгЇS


Homenagem ao Amigo oculto Mariano do Grupo Café das Letras - em 20/12/2008

Considerações Sobre O Amor (no msn)


fabiano diz (19:58):

A vida é tão urgente!


Maris . diz (19:58):

É eu sei...

e amar tbm...

Amar é pra ontem!


fabiano diz (19:58):

Amar caducou

rs



Diálogo - Maris e Fa

domingo, 30 de novembro de 2008

Aviões




Amor?

Foi segredo guardado

Foi desejo escondido


você?

Um sonho acabado

Um mal entendido


Não venha buscar

O passado...


A bagagem se perdeu


E tudo que fomos

Decolou com o tempo


O próximo vôo

perdido

ɱαгЇS



Foi no mês que vem – Vitor Ramil
 
Vou te vi
Ali deserta de qualquer alguém
Penso, logo irei
Que seja antes minha que de outrem
Quando o vento fez do teu vestido 
Um dom que Deus te deu
Claro que eu rirei
Ao vendo o que outro alguém não viu
 
Vou andei
E me chegando assim te cercarei
Digo, aqui tô eu
Que te amo e às tuas pernas quero bem
Já que estamos nós
Te sugeri-me então o que fazer
Claro que eu beijei
Ao tendo o que outro alguém não quis
 
E tudo isso 
Foi no mês que vem
Foi quando eu chegar
Foi na hora em que eu te vi
E mais que tudo 
Foi no mês que vem
Foi quando eu chegar 
Na hora em que eu te quis
 
Vou fiquei 
No teu chegado e tu chegada ao meu
Penso, grande é Deus
Um paraíso prum sujeito ateu
E pensando assim
Farei aquilo que o teu gosto quis
Claro, eu já ganhei de volta
Tudo o que eu quiser
 
E tudo isso 
Foi no mês que vem
Foi quando eu chegar
Foi na hora em que eu te vi
E mais que tudo 
Foi no mês que vem
Foi quando eu chegar 
Na hora em que eu te quis


sábado, 29 de novembro de 2008


sexta-feira, 28 de novembro de 2008

CONFISSÃO


-->


DE TODO MEU CORAÇÃO...
VOCÊ TEM SIDO IMPORTANTE
POR SER REFERÊNCIA DE COISAS QUE ACREDITO
E HÁ TEMPO NÃO VEJO...
POR TEU CARINHO ABSURDO
POR TRANSMITIR UMA PAZ QUE DESEJO
UMA VONTADE DE GRITAR
DESEMBOCANDO NUM BEIJO
PENA O AMOR NÃO SER UMA VONTADE
VOLUNTÁRIA
POIS
VEJO AO LONGE
DE NOSSAS LINHAS CRUZADAS
COMO É IMPOSSÍVEL
AMANHECER NO TEU HORIZONTE
...

FICA A CONFISSÃO
O “EU TE AMO” SOBREVOA
A NOSSA ESTRADA
-->
ɱαгЇS

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

DESTINO

Navego nessas águas
Escuras
De tempestades e calmarias

Contemplo o vem e vai das lutas
Rabisco na areia inúmera

Não queira me deter
Que não me destino ao espaço
Das salinas

Nem âncoras
Nem velas

Meu sal é feito
De saudade

Minha alma é feito
barco que se inunda

ɱαгЇS

Das Mentiras Adormecidas

Tuas mentiras
São farrapos
Que já não
Me servem...

Houve um tempo
que eram
verdades

Das quais me vestia
feito vento,
balançando ao sabor
da vaidade.

Deixavam-me
nua, no frio do
isolamento

Mas hoje,
quando despertos,
os meus olhos
te traem!
Me dizem, o que tu
teces:

Farrapos ao relento...

Uma vida rasgada...
De remendos...

E vi
meu Dedo furado
numa roca...

ɱαгЇS

domingo, 23 de novembro de 2008

Sem sentido

- Bom dia! Tudo bem?

- Oi, tudo! E você?

- Tudo. E aí, novidades?

- Novidades? Ah, ainda não li o jornal hoje...

ɱαгЇS

sábado, 22 de novembro de 2008

SÉCULOS

Paul Klee


Tenho escutado
A paz que traz
O vento

Nas noites que
O sol deita
Ao meu lado

Tenho avistado
O som das folhas
Trazendo

Notas molhadas
Musicalizando
As pausas
Que exalo


Em dias
Chuvosos
Há música
Chamando lá fora

Mas
Como me saber
Se nem mesmo
Compreendo?

Não me espera!

Que
Há séculos
Me espero
Só sentindo

E pra me sentir
Hoje, só
Encostando
Tua boca
Na minha alma


ɱαгЇS
☾☆

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Pra se materializar...

Repara,

Que cada sonho passa...

Outros sonhos

Nascem e

A vida sem disfarce

Novamente se despi.


Repara,

Crê e persevera.

Quem acredita

Desenha nas esferas

Aquilo que plantou

Pra se materializar.


Talvez não seja amanhã

Nem no tempo do "agora"!

Guarda a certeza,

Que o sonho esperado

A vida há

De ofertar!!!

ɱαгЇS

(DES)ENREDO


INTERVALO

Não foi nada!
Tudo passa mesmo...

Foi engano!
Estava errada...
Ah... Mas acontece, né!
E depois...
Tô acostumada...

Olha,
Só não esquece
De deixar a esperança
Aí na entrada...

Depois eu pego,
Hoje tô cansada...

Até outro dia...
Quem sabe
A gente se esbarra!

(ɱαгЇS)


INTERCALO

Estás enganada!
Nada passa a esmo...
Sonho insano!
Estás errada...

Claro, acontece...
Além do mais... É até normal!

Mas, olha, descansa!
Que junto
com o café na cama,
Eu te levo a esperança...

(Lucas)



Lucas de Oliveira e ɱαгЇS

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Segredos


Meus dedos em tua nuca,
escreverão as loucuras que escorrem
em meu corpo junto com o suor.

Aqui me tens
nu...
ardendo em insanidades
(nuas também).

Minhas pernas entrelaçadas ao teu corpo,
desdenharão de todo medo;
em meu templo, penetra teus segredos.


Aqui me tens
plena...
fases profanas, puras
ao sopro
do delírio de uma
língua
que desliza, lisa
na pele tua....


Lucas de Oliveira & Maris


☾☆

INTERVALO

INTERVALO

Não foi nada!
Tudo passa mesmo...

Foi engano!
Estava errada...
Ah... Mas acontece, né!
E depois...
Tô acostumada...

Olha,
Só não esquece
De deixar a esperança
Aí na entrada...

Depois eu pego,
Hoje tô cansada...

Até outro dia...
Quem sabe
A gente se esbarra!

ɱαгЇS



domingo, 16 de novembro de 2008

Das Estrelas - Para o poeta Lucas de Oliveira

"No céu da tua boca
Há estrelas de fogo...
Faíscas, rastros de luzes
Transbordam em poesia
Quando falas.
A mente é sonho,
Idéias, rimas, gozo...
Tuas mãos desenham o brilho em
Palavras.
Eis tua poesia,
Um vôo no precipício doce
Dessa tua ousadia..."

ɱαгЇS

Sobre "Parceria"

Maris:
- Sim, eu adorei as manhãs que você citou e o "persiste", mas fiquei pensando... Persiste o que o tempo não se cansa de levar?

Lucas:
- Pois é... rsrsrrs O tempo não cansa... quer levar embora... Não mede esforços ... mas as lembranças tão ai... são finas... tênues como a garoa mas permanecem... Basta o cheiro... o som... ou uma cor... e elas vêm à tona...

Dia 10/11/2008
às 23:04h

VOCÊ




Traz de volta aquele verso que se perdeu
Aquele beijo que eu roubei
Aquele tchau que você deu

Traz de volta aquela rima sem sentido
Aquele jeito intempestivo
Loucura que adormeceu

Traz de volta aquele meu sorriso mudo
Aquele olhar que não diz tudo
Aquela dor que me venceu

Traz o vento pro meu rosto
Aquele beijo mais gostoso
A ternura que se escondeu

Traz de volta o que te dei:
Traz você.


(Em parceria com Lucas Oliveira, meu sonho de consumo rs)

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Fruta Sonho


Sigo as tardes

Olhando os verdes

Sonhos que se formam no pé...


Árvore enraizada

No solo dos destemperos.

Adubado de

Acertos

Enganos...


Frondosa copa

Que alcança o céu

Aquiescendo

Meus desejos...


Presa ao chão

Mas de

Inspiração estelar


Plena seiva

Carregando vida por todos

Os cantos.


Passeio então

Em tardes feito pontes

Ligando os dias às noites...


Tempo de esperar...


Ah meus sonhos!

Quando se tornarão maduros

Pra dar vida a outros tantos?


ɱαгЇS

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

PARCERIA


O que de mim resta
Que o tempo não se cansa
De levar, persiste...

O cheiro de suor e os dentes no pescoço
As lembranças finas como a garoa taciturna
Das manhãs, permanecem

São incansáveis como o tempo
E o que resta de mim, não se leva
Nem se revela

Só se eleva...




Lucas de Oliveira & Maris


SONETO (COM)PROMETEDOR



prometo-lhe o calor de versos sonolentos
de meus opacos olhares esverdeados
(de meus olhos que na verdade, são cinzentos)
o calor de nossos lençóis amarrotados

prometo sussurrar versos desafinados
para buscar a eternidade dos momentos
para saciar nossos corações sedentos
de sonhos que não foram ainda acalentados

prometo não prometer o que está além
dessa doce infância desses meus sentimentos
que improvisados, virtualmente, se mantém...

prometo ser eternamente esse poeta
que traz nos olhos e nos braços, seus tormentos
e que do abrigo da poesia faz sua meta


.

Lucas de Oliveira

domingo, 2 de novembro de 2008

MAGIA ☾☆

É magia!
☾☆
Os raios do sol, a escuridão da noite, a fortaleza das pedras, o brilho das estrelas, a leveza do vento, a mansuetude das águas... ☾☆
É magia! Os sons do trovão, a tenebrosa tempestade...
O majestoso mar, as nuvens que passam ternamente... as que desabam de tão pesadas...
☾☆
É magia!Da mais doce!!!

ɱαгЇS


sábado, 1 de novembro de 2008

Por Lucas Oliveira



AUTOLATRIA

te quero nua
louca e do avesso
nesse meu desvairo rasgarei
tua pele com a língua
e entre teus suspiros ofegantes
morderei as raízes das tuas taras

molhada, encharcada
de água quente,
saliva morna
e suor frio...

estarás em mim como a
morte nos deuses

Lucas de Oliveira

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Inexistência

Hoje, eu não existo! Decretei que não existo. Por hoje, só quero SER na inexistência. Caminhando de teimosa... sem estar presa ao chão!

ɱαгЇS

MSN

- Bom dia

- Bom dia

- O que é tature?

- Faz parte de um mantra que aprendi... depois te falo. Estou ocupada agora...

- Eu sou um mantra

- Vc é um mantra? Nossa, vc é o oposto de qualquer mantra! rs

- Por quê?

- Pq não promove a paz, a tranquilidade, a alegria, a vida... o amor

- Então sou quase uma catástrofe

- Não. elas trazem transformações... um recomeço. Vc está sempre no mesmo lugar!!!



ɱαгЇS

Estrada

Eis o amor...

O amor se foi de repente
Bateu a porta da frente
E jurou não mais voltar

Vive chorando no escuro
Esconde-se achando seguro
Com marejado olhar

Gritou as penas ao mundo
Lembranças espalhou
Nas calçadas

Sarcástico
Fez piada
Com a dor

Agora

Fingi andar distraído
Como se fosse natural
Viver sem sentido
Velando esperanças
Enterrando as crenças perdidas
Desfalecendo feito estátua de sal

Eis que o amor
Se foi...

Sequer fez a mala
Diz não precisar
De mais nada

Ganhou a estrada...


ɱαгЇS

Sonhos




Assim que seu olhar
A noite escurecer
De luar seu brilho será
E feito magia, um
Rastro de estrelas, diluirá
Todo medo que sentir...

Fadas virão te encantar
Lindos sonhos, te envolver
E invadindo a atmosfera
Mergulhado em
Encanto, paz e doçura
Nada mais se fará
Movimento, além de você

Vibrará
Em som nas alturas
O sentimento
Pra te buscar

Se recolherá
Ao amanhecer
Das lembranças,
O sabor de toda loucura
O perfume de toda ternura
Que o amor em tintas
Plasmar

Mas a ampulheta escraviza
E retornando ao corpo
Transcende ainda a alma
Que nele habita

De esperança e desejo
Se despede no embate
Dizendo num beijo,
Jamais me esquecer...


ɱαгЇS

Alguém me viu assim...

Para a flor dos olhos azuis


suba!

misture-se as cores das borboletas e advinhe-se:

- daqui em diante tudo é amor!

suba!

teus colares, braceletes, pulseiras e anéis
não te firmam as solas dos pés ao solo!

és amada! deusa de olhos gláucos!


Anderson H

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Diálogo com o Espelho

Por mais que a vida aconteça lá fora com uma aparente harmonia... aqui dentro se exalta a inquietação dessa alma... Loucamente sensível, em nós... embaraçada de tantos equívocos e esquecimentos.

Esqueci! Esqueci de ser feliz por própria conta e risco.

Risco? Correr riscos???

Sim, corri riscos, mas não arrisquei nada! Grande farsa essa história de ser eu...



ɱαгЇS

AMO

Eu amo!
Amo os pedaços do mundo
Em cacos que atiro
Ao fundo
Do meu mosaico
Incompreendido.


Eu amo!
Amo esse resto de festa
Que meus olhos espiam
Pela fresta,
Antecipando
O que estar por vir.

Eu amo!
Amo o desconexo!
O atrevimento criador!
O desequilíbrio da busca!


O desarrumado armário!
O simples e o complexo!
O meu templo quase sempre confuso!
O que me assusta!


O confronto!
O atrito!
Os vários pontos!


O que está atrás da porta!
O que virá ao abrir o livro!
O achado,
O perdido!

E
Me
Construo em som
Harmonioso, ora
Dissonante...

Me
encontro
Sem sentido, ora
Significante...

Entre as lacunas do meu pensamento
Comprometido
Com o caos
Com o refletir
O sentimento transita

Amo viver
ɱαгЇS

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Profundeza

Um poço

Queda

Profundo fosso

Em mim


Imensurável

Não cabe

Tamanha


Profundeza

Infinda

Que

Jaz

Enfim


ɱαгЇS



terça-feira, 29 de julho de 2008

DEVANEIO


Contigo eu divido da minha grama à realização dos desejos...

Quero multiplicar sonhos, compartilhar sombras, comer o fruto...

Sentir perfume de flores e a vida em estado latente das sementes, mas sem perder o gosto desse encanto embalado no vento...

ɱαгЇS


"...Você passou e eu aprendi a sonhar... A sua alma me abraçou"... (Flávio Venturini - Quando Você Chegou)

sábado, 26 de julho de 2008

MUNDO

MUNDO

O meridiano de Greenwich
se atrita com a linha do Equador.

O globo ocular
sintoniza imagens distorcidas...
Os hemisférios se contradizem...

Eis meu mundo
Imaginário...
Puro aforismo

Não me alinho com as marcas do homem.
Sou (uni) versos...
Sou o mundo inteiro!

mαгЇS figueiredo

Cruzada


Maria

De tantas fumaças,

Sem trilhos

Segues...


Só!

Fazendo arruaça...

Indo pra longe

Depois de um até breve...


Caminhas

Rápida e faceira,

Teu barulho amedronta,

Ensurdece!


Orgulhosa

Não deixa sombra...


Ah Maria!

Qual tua desgraça se

Te encontrares

Com outra fumaça?


ɱ αгЇS


Saudade

O que sinto agora

distante...

sem sua presença

suas palavras...


O que sinto agora,

um abismo!

um corte,

a ferida de

um vôo razante...


daqueles

que degolam

a cabeça,

descaracteriza-se a face e

perde-se a alma.


O que sinto agora

é saudade...

ɱαгЇS


Uma puta saudade...









Nothing Else Matters - Metallica

So close no matter how far
Couldnt be much more from the heart
Forever trusting who we are
And nothing else matters

Never opened myself this way
Life is ours, we live it our way
All these words I dont just say
And nothing else matters

Trust I seek and I find in you
Every day for us something new
Open mind for a different view
And nothing else matters

Never cared for what they do
Never cared for what they know
But I know

So close no matter how far
Couldnt be much more from the heart
Forever trusting who we are
And nothing else matters

Never cared for what they do
Never cared for what they know
But I know

Never opened myself this way
Life is ours, we live it our way
All these words I dont just say
And nothing else matters

Trust I seek and I find in you
Every day for us something new
Open mind for a different view
And nothing else matters

Never cared for what they say
Never cared for games they play
Never cared for what they do
Never cared for what they know
And I know

So close no matter how far
Couldnt be much more from the heart
Forever trusting who we are
No nothing else matters

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Das Almas Indomáveis (Para um amigo)

De alma indomável
que pega a laço
o destino
te vi seguir

impiedoso,
sem rastros
Domando tortuosos caminhos.

E, foi
Percorrendo a noite
Da existência que
transformara-te em homem,
para adormecer o menino.

Mas,
caminhaste no escuro
como quem se guia
pelas sombras...

Hoje
te percebo feito os astros
aprendendo a trilhar
no espaço.

E fico feliz, por que
nesta mesma busca
me vejo...

Amigo,
Desejo-te a paz
dos aventurados
cuja ousadia
é o encontro com si mesmo!

ɱαгЇS

domingo, 20 de julho de 2008

Aos Amigos

Amigos!

Que ventos os trazem...

Nestes tempos

De dor,

Parecem oásis:

Alívio

Desta minha sede existencial!

ɱαгЇS

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Os dias azuis



Sim, os dias vêm azuis!

Coloridos de saudade,

Rosa de ternura e

Esperança verde

Que invade...


Sim, os dias vêm azuis!

Coloridos de ventura,

Dourados de amarelo

Sol, ouro que reluz

Iluminando a eternidade.


Os dias vêm azuis!

De violetas em flores,

Verdes das árvores...


Vermelhos em sorrisos,

Roxos em sabores de uva...


Marrom e laranja no solo

Onde caminho com vontade!


Sim, os dias vêm azuis

Num indigo jeans que me veste...


Sim... azuis

Branco, paz...

Arco-íris de possibilidades...


Há mais cores pra vida

Nas gotículas iluminadas


Por onde se colore

O que é realidade...

ɱαгЇS

segunda-feira, 23 de junho de 2008

VÔO


Som das asas

Vôo no escuro

Aprofundando horizontes

Caminhando nas nuvens


Oculto-me

Barganhando luzes

Espalhando-me em sonhos

Que foram perdidos


Sombras

Marcas da passagem

São apenas

Som das asas

Silêncio


Vôo no escuro

Me tortura

O som das asas


E a vida passa...

Um relicário

De tudo

Tão perto

Que não chega



ɱ αгЇS


ONE LAST BREATH - CREED

Please come now, I think I'm falling
I'm holding on to all I think is safe
It seems I've found the road to nowhere
And I'm trying to escape
I yelled back when I heard thunder
But I'm down to one last breath
And with it let me say
Let me say

Hold me now
I'm six feet from the edge and I'm thinking
Maybe six feet
Ain't so far down

I'm looking down now that it's over
Reflecting on all of my mistakes
I thought I found the road to somewhere
Somewhere in HIS grace
I cried out heaven save me
But I'm down to one last breath
And with it let me say
Let me say

Hold me now
I'm six feet from the edge and I'm thinking
Maybe six feet
Ain't so far down

Hold me now
I'm six feet from the edge and I'm thinking
Maybe six feet
Ain't so far down
I'm so far down

Sad eyes follow me
But I still believe there's something left for me
So please come stay with me
'Cause I still believe there's something left for you and me
For you and me
For you and me

Hold me now
I'm six feet from the edge and I'm thinking

Hold me now
I'm six feet from the edge and I'm thinking
Maybe six feet
Ain't so far down

Hold me now
I'm six feet from the edge and I'm thinking
Maybe six feet
Ain't so far down

Please come now, I think I'm falling
I'm holding on to all I think is safe

domingo, 22 de junho de 2008

One Last Breath

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Dias...

Às vezes, acordo
Com uma vontade imensa de fazer de conta
E deixar tudo por conta de não sei o quê


Dá vontade de fugir de tudo
Esse tudo que já não cabe em mim
Viver o mais completo absurdo


Eu vivo de supostas viagens
Em plena estação mas sem coragem de embarcar
Vendo o tempo carregando tudo e me lembrando
Que continuo no mesmo lugar

Meu corpo pesa
As desculpas não iludem
Se é inata em mim a vontade de voar

Acho que caminho para o eloucrescer...


ɱαгЇS