sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

VIDA




Amanheci
Das coisas pequeninas
E soprei
Numa brisa que arrasta
Qualquer fúria

E de coisas tão simples
Me vi assim
Iluminada
Numa luz que dissipa
Qualquer medo

E de coisas tão puras
Emancipei a alma
Numa atmosfera que elucida
Qualquer dúvida


E o dia passou em mim
Que de coisas belas enfeitei a aura
Transcendi
Numa lágrima agradecida

Existir é um “estar” profundo
Um “afogar-se em si mesmo”
Anoitecer e amanhecer em ciclos
E ainda assim, transbordar vida...


ɱαгЇS

3 comentários:

helen ps disse...

Maris
Esta poesia é linda!!
Uma das melhores...
(Obrigada pela visita)

Flávio Otávio Ferreira disse...

fico encantado com tanta inspiração. Poesias singelas que dizem tudo, desde o encantamento que é viver aos problemas circunstanciais da vida...abraços.

Paz e Poesia,
Luz e Sabedoria.

Flávio Offer

ɱαгЇS disse...

Obrigada Helenice e Flávio pelo carinho!