domingo, 28 de agosto de 2011

INSÔNIA







Há tanto tempo
Avisto o solo e

Não pouso 
Não repouso 

Pernoito
Vendo luzes se apagarem
Enquanto outras
Decolam



Sinto a
Textura das nuvens
Ouço
Sons ensurdecedores
De um silêncio 
 Raro...


Viajo
Entre
Altos e baixos 


Mas sempre
 Escuto música
Por onde passo
...

Maris Figueiredo







Nenhum comentário: