sábado, 27 de agosto de 2011

Sem Palavras





 Abriu o armário e
Guardou entre os livros,
As cartas, datas,  versos
...
Às vezes, não cabem no coração as
Promessas esquecidas e o
"Nós" atados pelo destino
... 
E num vaso
Depositou
As esperanças,
Pra que despertem junto às flores

MARIS FIGUEIREDO

Nenhum comentário: