segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

FOGO DE PALHA



A ponto de sangrar
Faíscas 

Pegar fogo
No tempo


Tão lento
 De consumir mundo afora 

Extinguiu-se


Não houve sentimento
Pra soprar o  pequeno
corte

De atrito intenso

Não sobrou nem o norte
Aquele, inventado


O disparate
Passou da hora


Maris Figueiredo







Nenhum comentário: